segunda-feira, 30 de março de 2015

Poema estendido

(este trabalho foi desenvolvido no âmbito do convite, endereçado por Ana Cristina Oliveira via Facebook, para integrar a CORRENTE POÉTICA 5.º DIA)


Desenrolo as palavras que teimam em sair de dentro de mim em catadupa, qual chuva torrencial e estendo-as à minha frente.

São imensas. Sentidas nas profundezas na minha alma. Perdidas e achadas nos recantos mais escuros de mim.

Sem comentários:

Publicar um comentário